11 de março de 2015

Resenha: Objetos Cortantes - Gillian Flynn


Olá caros amigos leitores! Finalmente tive o prazer de ler mais um livro desta escritora genial e claro, vou compartilhar com vocês, espero que gostem!

Objetos Cortantes - Gillian Flynn


Autora: Gillian Flynn
Editora: Intrínsica
Número de Páginas: 256 
Gênero: Thriller
Adicione no seu Skoob

Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.



Este é o segundo livro que leio de Gillian Flynn, o primeiro foi Garota Exemplarleia aqui a resenha) e achei simplesmente genial, foi um dos melhores livros que li não pela narrativa, o que em si já é fantástica, mas pela profundidade do psicológico das personagens. Gillian aparenta ter um vasto conhecimento do quão depravada e malévola pode ser a mente humana nos trazendo "vidas" repletas de tudo o que reprovamos nas pessoas. Flynn nos envolve nas suas narrativas nos fazendo conhecer e compreender a razão que leva a uma pessoa cometer uma loucura, a se entranhar na maldade, nos fazendo ter empatia pelas personagens mais psicóticas que eu alguma vez tive o prazer de "conhecer" pela leitura.

 Começando assim, devo dizer que Objetos Cortantes nos apresenta Camille Preaker, uma mulher dos seus trinta anos, jornalista que acaba de sair de um Hospital Psiquiátrico por se automutilar , escrevendo palavras no seu próprio corpo. Sem visitar a sua terra natal de Wind Gap à uns oito anos, Camille é enviada pelo jornal Daily Post onde trabalha em Chicago, para cobrir o assassinato de Ann uma menina de nove anos, e o desaparecimento de Natalie, de 10 anos, onde ficará hospedada na casa de sua mãe Adora, do seu padrasto Alan e da sua meia irmã totalmente desconhecida Amma. Camille vai ser o ponto central de toda a história, nos levando a conhecer o seu passado e a sua infância e adolescência incomuns.
Ao desenrolar da história vamos conhecendo várias personagens, antigos amigos e colegas de Camille, e a mentalidade de Wind Gap, já que Preaker começa de imediato o trabalho de entrevistar os habitantes da pequena cidade perto do rio Mississipi onde o principal negócio é o abate de porcos e os cerca de dois mil habitantes são na maioria ricos com suas casas majestosas em colinas, onde quem governa é a classe alta incluindo a família de Camille. 

Ao contrário de Garota Exemplar, este livro se foca não no suspense dos acontecimentos do agora, mas em como o passado de Camille a tornou no que ela é no presente. Os seus relacionamentos, medos e memórias a fazem fazer uma viagem aos tempos onde era ainda apenas uma criança se tentando recuperar da morte da sua pequena meia-irmã.

"Algumas vezes se você deixa as pessoas fazerem coisas a você, na verdade você está fazendo a elas."

Este livro fez me ficar grudada e a partir do momento que cheguei ao meio não consegui parar de ler. Cheio de surpresas e revelações, este thriller é sem dúvida uma ótima leitura para quem gosta de livros um pouco mais "pesados". Ao envolver pessoas psicóticas e doentias e assassinatos, o livro não é sem dúvida, uma leitura feliz, mas como disse anteriormente, nos ajuda a ter uma compreensão maior sobre a mente humana, e eu amo a Gillian Flynn por isso. Fiquei à espera que a personagem principal fosse um pouco mais interessante, até porque nós temos a perspectiva de Camille, já que o livro é narrado por ela, mas de certo modo até que foi bastante interessante o fato dela se ter tornado uma "vítima" na história toda, sendo que sem querer, tudo está relacionado com ela.
 Ao chegar praticamente no fim, a história deu uma reviravolta e para ser sincera já estava à espera e foi perfeita para o final do livro, que por si mesmo é meio incógnito sobre o resto da vida de Camille.

 "- Camille? - falou, a voz baixa, infantil e insegura. - Sabe quando as pessoas às vezes dizem que precisam se ferir pois caso contrário ficarão tão anestesiadas que não sentirão nada? (...) E se fosse o oposto? - perguntou em um sussurro. - E se você ferisse por ser tão bom? Como se você tivesse uma comichão, como se alguém deixasse um interruptor em seu corpo, e nada pudesse desligar o interruptor a não ser se ferir? Sabe o que isso significa?" ( Pág. 192)
  

3 comentários:

  1. Já li várias resenhas sobre esse livro, alguns dizem que odiaram outros dizem que gostaram. Mas só lendo para saber. Amei a resenha e através dela fiquei mais curiosa :)

    Vanessa - Blog Closet de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vanessa!
      Quando o livro é bom existem sempre opiniões contraditórias, no meu caso eu gostei imenso, até porque me fez ter empatia com a personagem. Obrigada e espero que gostes também.
      Bj

      Excluir
  2. Oi Ana. Eu gostei muito da sua resenha, parabéns! Eu nunca li nada sobre essa autora, mas depois da sua resenha vou providenciar Garota Exemplar e esse Objetos Cortantes. Inclusive, nem vi o filme garota exemplar por conta do livro pois ainda não li. rsrs Mas vou ler breve breve, Beijos!

    Anebee.com.br

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Editado por: Carolina Lopes • voltar ao topo